sexta-feira, 22 de maio de 2015

A Carne



A CARNE (Seu Jorge, Marcelo Yuca e Wilson Capellette)
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Que vai de graça pro presídio
E para debaixo do plástico
Que vai de graça pro subemprego
E pros hospitais psiquiátricos
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Que fez e faz história
Segurando esse país no braço
O cabra aqui não se sente revoltado
Porque o revólver já está engatilhado
E o vingador é lento
Mas muito bem intencionado
E esse país
Vai deixando todo mundo preto
E o cabelo esticado
Mas mesmo assim
Ainda guardo o direito
De algum antepassado da cor
Brigar sutilmente por respeito
Brigar bravamente por respeito
Brigar por justiça e por respeito
De algum antepassado da cor
Brigar, brigar, brigar
A carne mais barata do mercado é a carne negra

domingo, 17 de maio de 2015

Colorir versão Gourmet

A nova moda gourmet são os livros para colorir. Detestei isso. Justo eu, que amo e coleciono lápis de cor, torci demais o nariz para a nova moda. Um motivo está na publicação de  Patricia Devicente, no Facebook:
"Ontem fui à papelaria Papel Mania dentro do Park Shopping São Caetano. Na vitrine vários livros de colorir e lápis de cor de tudo quanto é marca. 
Fui testar um lápis suiço cuja caixa com 12 unidades custa R$72,00. O lápis de fato surpreende por causa da maciez e da cobertura perfeita. No papel deixado para testá-lo havia o desenho abaixo. Tenho certeza que foi uma forma de protesto! hehe"


Adorei o protesto! Rosa, que era diplomata e bem de vida,  usava os lápis e cadernos mais simples de todos, porque esses coxinhas tem que supervalorizar os lápis? Preguiça desse povo!

Bola de Meia, Bola de Gude - Milton Nascimento | Videoclipe oficia

sexta-feira, 1 de maio de 2015

As múltiplas 'verdades' literárias

O professor e atual ministro da Educação Renato Janine Ribeiro publicou no Facebook:

Uma bela reflexão sobre a literatura:"É A LITERATURA que nos revela, como acusa o escritor Hadj Garm Oren, que 'todo indivíduo, mesmo o mais restrito à mais banal das vidas, constitui, em si mesmo - um cosmo. Traz em si suas multiplicidades internas, suas personalidades virtuais, uma infinidade de cidades internas, suas personalidades virtuais, uma infinidade de personagens quiméricos, uma poliexistência no real e no imaginário, o sono e a vigília, a obediência e a transgressão, o ostensivo e o secreto, pululâncias larvares em suas cavernas e grutas insondáveis. Cada um contém em si galáxias de sonhos e fantasias, de ímpetos insatisfeitos de desejos e amores, abismos de infelicidades, vastidões de fria indiferença, ardores de astro em chamas, ímpetos de ódio, débeis anomalias, relâmpago de lucidez, tempestades furiosas...' (MORIN, 2011, 44).MORIN, Edgar. A Cabeça Bem Feita. Trad. Eloá Jacobina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.(Indicada por Zenilton Fernandes).

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Valeu Abu!

A morte passou pela terra essa semana mesmo e aproveitou para levar também o dirtor, ator, apresentado e sobretudo PROVOCADOR Antonio Abujamra. 
Fica um registro final, com muita saudade daquele que viveu "caminhando no incerto idolatrando a duvida"...

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Gratidão Inês Etiene Romeu


Na manhã de 27 de abril de 2015 faleceu, ao 72 anos, dormindo, a ex guerrilheira Inês Etiene Romeu, em Niterói no RJ. Inês era historiadora e foi a única sobrevivente da Casa da Morte de Petrópolis e, incrivelmente viveu o ofício de historiadora: (sobre)viveu para contar. Trata-se de uma das figuras que eu mais admiro entre todas, já falei dela aqui e não tenho palavras para expressar meu sentimento ao saber da sua morte , pois nunca que desejamos a morte de alguém, ainda uma pessoa assim tão admiravelmente corajosa, porém me lembro de tantas e tantas vezes que Inês quis morrer, quis se ver livre do inferno em que vivia e como nunca foi permitido a ela ter paz, nem em pleno século XXI, democracia no Brasil, ainda era preciso calar a voz de Inês. E ela morreu da forma que merecia: dormindo, como um anjo, como merecia. Agora se efetuam as palavras de sua irmã na Comissão da Verdade em 2014:
"Sua missão é de heroísmo. Você não tem mais o que temer. Você venceu".Celina Romeu

Nunca vou me esquecer da sua história, da sua coragem, da sua dignidade. Como escreveu Gabriel Gacía Márquez, "A vida não é a que se viveu, e sim a que a gente recorda, e como recorda para contá-la." e a história de Inês é exatamente essa!
Gratidão, admiração, amor! Fica em Paz Inês!


domingo, 26 de abril de 2015

Ver canções


O Catraca livre divulgou no Facebook  algumas pinturas da artista visual Melissa McCracken, que sofre de sinestesia, quando ouve canções. A mais bonita que eu achei foi feita a partir da música Lucky, do Radiohead.
Bem linda a imagem. Sua versão musical é :